21 Setembro 2017
Página inicial / Canais / Academia
UÉ reforça posicionamento na área das Tecnologias da Saúde

Assinado ontem no âmbito do Portugal eHealth Summit, o Acordo firmado entre a SPMS – Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, EPE e a Universidade de Évora (UÉ) afirma a aposta estratégica da UÉ em telesaúde, homecare ou telemedicina.

Membro da iniciativa europeia EIT Health e do consórcio Lisbon Living+, a UÉ tem apostado nas áreas das Tecnologias para a Saúde e do Envelhecimento Ativo, linhas de investigação transdisciplinar com projetos de I&D de grande dimensão em execução ou em avaliação no âmbito do Portugal2020, em sub- áreas como o homecare, a telesaúde, a computação cognitiva ou a aplicação de técnicas avançadas de inteligência artificial.

Esta aposta foi ontem reforçada através da assinatura de acordo de cooperação com a SPMS, o qual prevê a possibilidade de alargamento a outras entidades públicas e privadas. Paulo Quaresma, Vice-Reitor para a Investigação, fez questão de sublinhar que “pretendemos que esta seja a génese de um laboratório colaborativo, com sede no Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo, mas com uma janela para todo o mundo.”

O Protocolo celebrado visa potenciar a colaboração na área das Tecnologias para a Saúde, no âmbito do chamado triângulo do Conhecimento, que tem como vértices a educação, a investigação e a inovação, com vista à obtenção de soluções inovadoras, eventualmente disruptivas e que permitem realizar saltos qualitativos na qualidade dos serviços de saúde.

A UÉ tem uma intervenção concreta nestes três vértices do triângulo do conhecimento na área das Tecnologias para a Saúde, quer ao nível da formação, quer ao nível da investigação, tendo sido recentemente criado um centro de I&D conjunto com o Hospital do Espirito Santo de Évora. Muito vincada é também a componente de inovação, potenciada pelas condições criadas pelo Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia.

A baixa densidade populacional e a dispersão geográfica são características da região Alentejo, que a tornam um Living lab para a avaliação e implementação de novas soluções nas áreas da telemedicina e homecare. A construção de um novo hospital em Évora requererá também a introdução de soluções tecnológicas avançadas.

 

Publicado em 06.04.2017