Home / Canais / Academia
Turismo e Guias-Intérpretes em Portugal em conferência na UÉ

A conferência “Turismo e Guias-Intérpretes em Portugal”, organizada pelos alunos da Licenciatura em Turismo da Universidade de Évora, decorreu no passado dia 5 de dezembro no Auditório da UÉ, reunindo mais de duas centenas e meia de participantes para debater e refletir sobre o papel atual dos guias intérpretes no nosso país.

Para a coordenadora da conferência, Noémi Marujo, “o turismo cultural tem como principal atrativo os aspetos culturais e históricos de uma cidade, vila ou aldeia. É, muitas vezes, através dele que turistas e visitantes observam ou vivenciam as singularidades culturais de um país ou de uma região”. Por isso, a professora do Departamento de Sociologia da Escola de Ciências Sociais da UÉ, considera que “a interpretação da história ou da cultura de uma localidade depende da forma como ela é transmitida. Neste sentido, os guias intérpretes têm um papel fundamental não só na valorização da cultura e da história de uma localidade, mas também na divulgação desta”.

Refira-se que a partir de 2013, ano em que foi abolida a carteira profissional dos guias-intérpretes, surgiu em diversas cidades guias que se dedicam a dar a conhecer o património material e material de uma localidade. Neste sentido, a conferência teve como principal objetivo o debate e a reflexão sobre o papel atual dos guias intérpretes (certificados ou não) na valorização e transmissão do património em cidades e vilas.

A iniciativa contou com especialistas académicos e profissionais da área que apresentaram as seguintes comunicações: “(De)Touring: uma estratégia para Portugal”; “Académicos, guias e turistas: três olhares diferentes sobre os papéis dos guias-intérpretes”; “AGIA: Passado, Presente e Futuro: importância da associação de guias-intérpretes enquanto promotores da região e divulgação e proteção da profissão”; “Em nome do Património Local”; “Da utilidade de uma associação nacional de guias-intérpretes: objeto, funções, realizações”; “A Importância de CPD (Continious Professional Development) nos Guias-Intérpretes Nacionais”.

Ao juntar profissionais do sector público e privado do turismo, estudantes da Universidade de Évora, e de escolas profissionais e secundárias, a conferência organizada no âmbito da unidade curricular “Planeamento de Eventos e Animação Turística II” teve também como objetivo ser um elo de ligação entre os diferentes agentes do sector turístico.

Publicado em 11.12.2018