21 Setembro 2017
Página inicial / Canais / Cultura
dr
Sérgio Niza, Pedagogo e Cidadão

“Sérgio Niza, pedagogo e cidadão” foi o título de um colóquio em jeito de homenagem que decorreu no passado dia 24 de abril no Colégio Mateus d’ Aranda da Universidade de Évora.

Em vésperas da comemoração do 25 de abril, o auditório da antiga Academia de Música estava lotado para ouvir falar sobre Sérgio Niza, num evento que inicialmente foi idealizado como uma apresentação do livro “Escritos sobre Educação” e que se foi tornando mais complexo, culminando num colóquio que contou com oradores de peso como os Professores António Sampaio da Nóvoa, Fernanda Henriques, Américo Peças e o próprio Sérgio Niza, coordenado pela Professora Assunção Folque, docente do Departamento de Educação e Pedagogia. O grande ausente do dia foi Luís Miguel Cintra, actor e encenador de teatro, que não pôde estar presente devido a problemas de saúde.

Na abertura do colóquio estiveram na mesa a Professora Hermínia Vilar, em representação da Reitoria da UE, o Professor Silvério da Rocha e Cunha, diretor da Escola de Ciências Sociais e a Professora Ana Paula Canavarro, directora do Departamento de Pedagogia e Educação.

“Sérgio Niza: na escola, na pedagogia e na cultura” foi o título da intervenção do Professor António Sampaio da Nóvoa, Reitor da Universidade de Lisboa, estruturada como “uma espécie de diálogo entre dois Sérgios: um que marcou a segunda metade do século XX em Portugal [António Sérgio] e o Sérgio Niza, que marcou os últimos 50 anos”. Uma comunicação dividida em três capítulos, sublinhando “um apontamento sobre as questões da Escola, da sua organização e de uma perspectiva de organização democrática; um segundo apontamento sobre as questões da Pedagogia e sobre as questões da Autoridade, da Liberdade e da Cooperação”, tendo terminado com um apontamento em que assinalou “a dimensão da Cultura, começando pelo António Sérgio e acabando com o Sérgio Niza”. Neste último apontamento salientou que “a Escola, com a sua dimensão de produção cultural, ligada a uma dimensão de intervenção social são essenciais para compreender o conjunto dos escritos do Sérgio Niza”.

Américo Peças, docente do Departamento de Pedagogia e Educação da UE entre 1995 e 2008 e membro do Movimento Escola Moderna apresentou “Sérgio Niza: mestre da palavra e da afeição”, começando por dizer que “nunca tinha falado sobre Sérgio em frente ao Sérgio”, afirmando que “escutar, escrever, conversar com o Sérgio faz parte desse nível de coisas transcendentes que não se definem, só se experienciam”. Numa intervenção emotiva, o professor elogia “essa força da palavra do Sérgio que nos inquieta e elucida, ao mesmo tempo que nos convida afectuosamente aos caminhos da cooperação para afrontarmos, fraternos, a terrível e incontornável congruência da profissão [de professor] ”

Fernanda Henriques, docente do Departamento de Filosofia da UE apresentou a conferência com o título “Aprender a Liberdade: podemos mudar a escola?”, uma comunicação que pretendeu “fazer uma descrição positiva do conteúdo do conjunto dos escritos que o volume que saiu há seis meses reúne”. Terminou, dirigindo-se ao homenageado “com um agradecimento sincero por três razões: em primeiro lugar pelos momentos de cumplicidade que vivi consigo ao partilhar as suas ideias; em segundo lugar pelas memórias que me fez recordar e finalmente pelas aprendizagens que me proporcionou”.

Sérgio Niza acabou por proferir algumas palavras no final do encontro, agradecendo aos oradores e participantes, deixando uma palavra sobre os tempos que a Escola Pública vive: “É preciso resgatar a Pedagogia e eu estou cá para isso. Porque nos enganámos quando pensámos que ela não valia nada. E com o resgate da Pedagogia hão-de regressar os pedagogos. Não os vendilhões, não os pseudo-pedagogos empresariais; uma espécie de uma pedagogia de negócios ou de um ser para o lucro que começa a invadir as escolas públicas, porque as privadas já são deles, que traiçoeiramente transforma agora esses empresários numa espécie de educadores do povo, em promotores da inclusão. Até quando a nossa paciência?”

O colóquio terminou com um beberete proporcionando um momento de convívio entre participantes e oradores convidados.

“Sérgio Niza - Escritos sobre educação”, lançado pela editora Tinta-da-China em 2012, é um volume organizado por António Nóvoa, Francisco Marcelino e Jorge Ramos do Ó, que compila textos de Sérgio Niza produzidos ao longo da sua carreira.

Publicado em 09.05.2013