Home / Canais / Academia
AAUE promove Jornadas dedicadas ao Ambiente

As ameaças à biodiversidade e o papel das energias renováveis no ambiente foram alguns dos temas em destaque nas primeiras jornadas dedicadas ao ambiente da AAUE, a 21 de Março, Dia da Árvore, no Ano Internacional das Florestas.

A Universidade de Évora desempenha um papel importante na área do ambiente com competências ao nível do ensino e da investigação em Biologia, Ecologia, Arquitectura Paisagista e Engenharia das Energias Renováveis, entre outras.

O Vice-reitor, Prof. José Manuel Caetano, destaca a importância do debate sobre o ambiente, pelo facto de não ser uma questão “exclusiva de alguns”, apelando à multidisciplinariedade e ao envolvimento de todos.

O Ano Internacional da Floresta foi instituído pelas Nações Unidas e as ameaças à sua biodiversidade foi o tema escolhido pelo Prof. Manuel Mota, docente do departamento de Biologia. Com um papel muito importante nos biomas mundiais, a floresta apresenta uma fatia elevada em termos económicos e existem inúmeros factores que a ameaçam. As invasões biológicas, em particular o nemátode da madeira do pinheiro, área principal da sua investigação, são outras das ameaças à floresta, em particular o pinheiro bravo.

Surgido em Portugal em Maio de 1999, em Pegões, a partir do momento em que o nemátode da madeira do pinheiro chega à árvore, a água não consegue subir, não há fotossíntese e a árvore morre num prazo de 6 a 8 meses. 

O papel das energias renováveis no ambiente foi o tema da palestra do titular da Cátedra BES Energias Renováveis, Prof. Collares Pereira, referindo que “as energias renováveis têm inúmeras vantagens: são limpas, não escasseiam e estão distribuídas, ou seja, são uma forma de energia bastante democrática.”

O Prof. Collares Pereira apelou ao facto das energias renováveis serem globalmente mais económicas em relação às demais energias, sugerindo uma mudança cultural e uma mudança de paradigma no que diz respeito ao tipo de energias a usar à escala mundial. E finalizou com uma pergunta retórica: “quando começaremos a mudar hábitos no que toca à utilização de energias limpas?”

João Barnabé e Sofia Ascenso | UELINE

Publicado em 21.03.2011