Home / Canais / Academia
Universidade Popular Túlio Espanca anuncia novo pólo em dia de aniversário

A Universidade Popular Túlio Espanca assinalou esta sexta-feira, dia 17 de maio, o seu décimo aniversário, num programa inserido no X Aprender no Alentejo, que decorreu na Universidade de Évora (UÉ) nos dias 16 e 17 de maio.

Sobre o Encontro «Aprender no Alentejo», Lurdes Pratas Nico, Professora do Departamento de Pedagogia e Educação da UÉ, coordenadora técnica e científica da Universidade Popular Túlio Espanca, referiu ser o tema «Educação» a reunir autarquias, juntas de freguesia, associações de desenvolvimento local, escolas do ensino básico e secundário, públicas e privadas da região Alentejo. A Universidade de Évora aproveita esta iniciativa para partilhar os resultados de projetos de investigação numa iniciativa que resulta da “diversidade de experiências” sublinhou ainda Lurdes Pratas Nico; “queremos demostrar e dar a conhecer o que se realiza no Alentejo em diferentes domínios do ensino e da investigação, valorizando esta região, a nível social, humano, económico, cultural e educativo”.

É neste envolvimento que se incorpora a Universidade Popular Túlio Espanca da Universidade de Évora, onde a “moldura humana” assume a “expressão mais importante” deste projeto que conta já com cerca de um milhar de participantes organizados em sete polos: Barrancos, Alandroal, Portel, Reguengos de Monsaraz, Viana do Alentejo, Évora (Canaviais), e São Miguel de Machede, em colaboração com autarquias, juntas de freguesia e associações de desenvolvimento local, destacou a professora da UÉ.

Sem revelar a localidade, Lurdes Pratas Nico avança que “em breve apresentaremos a assinatura de protocolo com mais um município do Alentejo”, constituindo-se como o oitavo polo da Túlio Espanca. “Estas instituições têm um conhecimento muito significativo das suas comunidades” referindo-se aos parceiros, tendo em conta as características da região, a maior parte dos participantes (alunos), “são pessoas com uma vasto conhecimento e experiência” reconhece a co-coordenadora da Túlio Esapanca que convoca para este projeto “todos os saberes e experiencias”. Por parte da Universidade de Évora, “disponibilizamos o saber académico, de matriz formal e científico”, numa partilha e interligação de saberes já elogiada pela Comissão Nacional de Educação, que recentemente esteve de visita e conheceu mais sobre esta Escola Popular e sua organização no terreno, bem como a sua matriz não formal, “mas ao mesmo tempo intergeracional e territorial”, destaca Lurdes Pratas Nico, anunciando estar previsto para os dias 26, 27 e 28 de maio, nova visita por parte dos especialistas desta Comissão.

Esta unidade científico-pedagógica tem como objetivos fundamentais garantir aos cidadãos oportunidades diversificadas de formação ao longo da vida, no âmbito do cruzamento da estratégia da Universidade com a sociedade e com o meio envolvente.​ Lurdes de Pratas Nico referiu ainda que um fator importante deste projeto é sua capacidade “de dar alguma cor e alegria” a muita da população que ainda vive de certa forma isolada, “preenchendo o seu tempo com algo de positivo”, aliás, a professora da UÉ, sublinha que “não deve ser coincidência que nos países que apresentam um maior índice de desenvolvimento do ponto de vista cultural e educativo, os habitantes, são em regra mais felizes e satisfeitas com a vida” – sendo este também um dos objetivos da Túlio Espanca, dar mais qualidade de vida à população, “proporcionando a todos oportunidade de aprendizagem sem qualquer limitação e circunstância”.

O X Congresso «Aprender no Alentejo» é uma organização do Departamento de Pedagogia e Educação da Universidade de Évora, Centro de Investigação em Educação e Psicologia da UÉ e Universidade Popular Túlio Espanca.

Publicado em 20.05.2019