Home / Canais / Academia
CIMAC
Sustentabilidade no I Encontro Nacional de Rotas e Infraestruturas Cicláveis

A Universidade de Évora (UÉ) participou no I Encontro Nacional de Rotas e Infraestruturas Cicláveis que decorreu nos dias 3 e 4 de junho na cidade de Évora, promovendo alguns dos seus projetos que têm como objetivo criar uma dinâmica de comunidade global através de ideias de espaço arquitectónico e mecanismos de mobilidade ecológicos, incentivando os utentes de Évora a usufruir da cidade histórica, a percorrer e descobrir o seu património sociocultural de uma forma sustentável e saudável.

“Uma das grandes bandeiras da Universidade de Évora é a Sustentabilidade” exaltou a Vice-Reitora da academia alentejana, Ausenda de Cáceres Balbino na sessão de abertura que teve lugar no Colégio dos Leões. “Desde há bastantes anos, seja no ensino, seja na investigação ou mesmo nas pontes que a Universidade mantém com os sectores produtivos e empresariais, a sustentabilidade é sempre uma prioridade”, recordou a Vice-Reitora, ao destacar o projecto Follies, concebido por alunos do 1º ano do Departamento Arquitectura da Escola de Artes da UÉ, que propõe a utilização do espaço público como lugar privilegiado para estabelecer ligações entre a comunidade e o seu património, bem como o projeto U-Bike, que cede 300 bicicletas convencionais e 200 bicicletas elétricas, através de um regime gratuito e de longa-duração, incentivando à adoção de hábitos de mobilidade sustentáveis nas comunidades académicas do ensino superior.

Para além destes, a Vice-reitora da UÉ sublinhou ainda que a UÉ coordena diversos projetos de investigação, seja na área da energia solar, seja em práticas sustentáveis de gestão dos solos e da água, promovendo possibilidades de rentabilizar desperdícios e assim diminuindo poluentes e fomentando a economia, ou ainda, tal como referiu, projetos ao nível do turismo.

Na opinião de Ausenda de Cáceres Balbino, o nosso país parece estar a caminhar bom sentido a este nível, tendo as regiões investido, por exemplo, na reconversão de antigas ferrovias em pistas Cicláveis; "o país começa a ligar-se através de rotas e de percursos na natureza; nas cidades existem mudanças visíveis ao nível do ordenamento do território e persegue-se hoje o conceito de cidade inteligente, pelo que creio que a sociedade está preparada para mudanças, seja relativamente aos padrões de consumo, seja relativamente a questões energéticas ou relativamente à mobilidade".

Coorganizado pela Infraestruturas de Portugal, através de uma das empresas do seu Grupo, a IP Património, e do Turismo de Portugal, em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central e a Universidade de Évora, esta iniciativa surge da convicção de que o Plano Nacional de Ecopistas e as demais rotas e infraestruturas cicláveis têm uma forte vocação turística, de âmbito histórico, cultural e/ou natural, constituindo um importante ativo turístico estratégico que importa desenvolver com a mobilização de parceiros institucionais nas várias escalas de território (internacional, europeu, ibérico, nacional, regional, intermunicipal e local), implementando modelos de gestão assentes em critérios de desenvolvimento sustentável.

Publicado em 04.06.2019